06 Ago. SOMAR+ IA.e.ARTE

06 Ago. SOMAR+ IA.e.ARTE

Uncategorized 0

Em Agosto o SOMAR dedica-se ao tema “Inteligência Artificial (IA) e Som” com um conjunto de falas a abordar o atual cenário das IAs nas artes digitais.

O evento conta com a participação de artistas, curadores e pesquisadores das artes digitais e sonoras, os quais trazem pesquisas recentes e uma série de provocações sobre o atual contexto de produção criativa. Para esta ocasião, o SOMAR convida o público a participar de um encontro intimista e a trazer outras perspectivas e questionamentos para debate. O objetivo do encontro é então suscitar por meio das pesquisas, das falas e do debate, novas práticas em arte sonora e digital.  

19h. Fala de abertura: Arte e Inteligência Artificial | Lia Carreira 

Lia Carreira fará uma pequena introdução à temática ao abordar o atual contexto da relação entre Arte e Inteligência Artificial. 

19h20. Projeção “Recoding Art: Van Abbemuseum”, vídeo (14’50”) de Bruno Moreschi & Gabriel Pereira. 

Em uma noite de outubro, o pesquisador de media digital Gabriel Pereira enviou um e-mail a Bruno Moreschi. A mensagem marcou o início de uma pesquisa que envolveu a criação de uma plataforma que centraliza 7 Inteligências Artificiais comerciais para ler a coleção de um museu de arte contemporânea. Nos resultados, Pereira e Moreschi procuraram por falhas, erros e leituras inesperadas feitas pelas IAs – mas também encontraram algoritmos que equiparavam a subjetividade artística à lógica capitalista. Subjacente a tudo isso estava o trabalho crucial mas invisível dos Amazon Mechanical Turkers.

19h35. Inteligência artificial e Processos criativos: entre críticas e alternativas | Gabriel Pereira 

Na prática conjunta com Bruno Moreschi, Gabriel Pereira pesquisa como utilizar  “glitches” de sistemas de inteligência artificial de maneira crítica e criativa. Em sua pesquisa para o Van Abbemuseum (Holanda) e para a 33a Bienal de São Paulo (Brasil), estes erros serviram como maneiras de mostrar os sistemas dos espaços artísticos, equiparando e reimaginando outras maneiras de ler a arte (“crítica institucional 2.0”). Por outro lado, estes erros também são reveladores das políticas de algoritmos, dados, e infraestruturas. Através destes mapeamentos e suas incongruências, como podemos pensar em alternativas críticas?

19h55. Inteligência Artificial e exclusão: desenvolvendo buscadores alternativos | Rodrigo Ochigame

Em geral, as ferramentas existentes de busca selecionam resultados com base em métricas de popularidade e similaridade. Tais ferramentas refletem preconceitos culturais e desigualdades políticas, reproduzindo formas de exclusão e marginalização. Rodrigo Ochigame desenvolve buscadores alternativos que visam a visibilização de pontos de vista críticos e ausentes. 

20h15. Usos de caso e ferramentas de Inteligência Artificial para criação musical e sonora | Magno Caliman

Magno Caliman analisará casos de composição assistida por computador onde a máquina colabora com um agente humano para criar letras e melodias; discos compostos inteiramente por algoritmos; ferramentas de síntese sonora capazes de criar “instrumentos musicais impossíveis”; empresas capazes de clonar e emular as características vocais de qualquer pessoa; assim como ferramentas open source voltadas para performance musical em tempo real.

20h45. Sessão de debate 

___

Lia Carreira é artista, curadora e pesquisadora de Arte e Tecnologia. Atualmente atua como curadora e gestora de projetos no SOMAR e desenvolve pesquisa na interseção entre estudos de software e curadoria. Dentro do campo de Inteligência Artificial e Arte, Lia foi pesquisadora do Zentrum für Kunst und Medien (ZKM) na Alemanha, professora convidada da Universidade de Aarhus na Dinamarca, e palestrante de eventos e conferências como “sARTplaces – INNOVATION in Culture” na Alemanha e “AI in Arts and Culture” do Het Nieuw Museum na Holanda.

Gabriel Pereira é estudante de doutoramento da Universidade de Aarhus (DK) em Estudos de Informação e Design Digital. Participa de grupos de pesquisa do FutureMaking Consortium e é pesquisador do Center for Arts, Design, and Social Research (CAD+SR). 

Rodrigo Ochigame é estudante de doutoramento no MIT (EUA) em “History, Anthropology, Science, Technology, and Society”. Ele faz parte do grupo “Ethics and Governance of Artificial Intelligence” do MIT Media Lab.

Magno Caliman é artista sonoro, educador e creative coder. Vê nas linguagens de programação, e na criação/modificação de circuitos eletrônicos, lugares de especulação poética, premissa essa que guia tanto sua produção artística quanto acadêmica. Bacharel em Composição Musical e Mestre em Educação, pesquisa e desenvolve metodologias de ensino e aprendizagem de programação em contexto das artes. Atualmente é parte da equipa de curadoria e projetos do SOMAR. 

____

Entrada gratuita / doações 
Não é necessário inscrição prévia. Vagas limitadas ao espaço.
O evento será em Português.